Home Blog

Meias e atacantes marcadores fazem diferença entre Palmeiras e Corinthians

0

Para vencer o Palmeiras no Allianz Parque e conquistar o título Paulista, no tempo normal ou nos pênaltis, o Corinthians precisará de mais ajuda de seus meias e atacantes na marcação no próximo domingo. A colaboração dos jogadores que não são defensores na roubada de bola foi um dos pontos altos do alviverde na vitória por 1 a 0 em Itaquera, no último sábado. E, ao mesmo tempo, uma grave deficiência corintiana.

De acordo com números do site Footstats, os palmeirenses acertaram 20 desarmes certos durante o jogo contra 14 dos corintianos. A vantagem só foi possível graças ao empenho de meias e atacantes, que juntos desarmaram os rivais 11 vezes.

Entre os alvinegros, apenas dois meias desarmaram com precisão: Mateus Vital e Pedrinho, uma vez cada. O que se viu do lado corintiano foi a concentração dos desarmes em Gabriel, que fez seis roubadas de bola. O segundo do time que mais desarmou foi Fagner, com três.

Enquanto isso, os visitantes distribuíram melhor a missão de desarmar. O lateral Marcos Rocha foi o mais eficiente com 4 desarmes. O meia Moisés fez apenas um a menos. Os atacantes Borja, Dudu e Willian e o meia Lucas Lima fizeram dois desarmes cada, mesma marca do volante Felipe Melo, expulso ao final do primeiro tempo. Entre os alvinegros, nenhum dos atacantes (Sheik e Romero) desarmou.

Além de não contribuir para desarmar os rivais, o meia corintiano Rodriguinho foi quem mais perdeu a bola no jogo. Isso aconteceu 11 vezes. Seu número de perda de posse é maior do que o registrado pelos palmeirenses Lucas Lima (5) e Moisés (3) juntos.

Fonte: Blog do Perrone

TJD-SP deve se posicionar sobre briga entre Corinthians e Palmeiras na segunda-feira

0

Dérbi válido pela primeira final do Campeonato Paulista teve expulsões, declarações polêmicas e relatos de arremessos de objetos ao campo na súmula

O Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP) deve se posicionar na segunda-feira sobre as confusões no Dérbi do último domingo, pela primeira final do Paulistão. Essa é a previsão do presidente do TJD-SP, o delegado Antonio Olim. O Palmeiras venceu o Corinthians por 1 a 0.

Clayson (Corinthians) e Felipe Melo (Palmeiras) foram expulsos. O jogador do Corinthians ainda disse depois da partida que o árbitro Leandro Bizzio Marinho estava mal intencionado.

Na súmula, o juiz relatou que o corintiano recebeu vermelho “por desferir dois tapas com força excessiva em seu adversário […] sendo que o primeiro acerta o braço direito do mesmo, e o segundo não o atinge.” Já Felipe Melo foi excluído do clássico “por revidar à agressão sofrida pelo seu adversário […] segurando o mesmo pelo pescoço utilizando de força excessiva”.

O árbitro também disse que o fiscal da partida, Sidney Roberto da Silva, o avisou que um copo foi arremessado em campo enquanto Felipe Melo descia para o vestiário. Segundo ele, no mesmo local também houve cusparadas e pipocas arremessadas nos palmeirenses na saída para o intervalo e ao final da partida.

Bizzio ainda relatou um episódio na saída para os vestiários:

– Fui informado que, após o término da partida, enquanto as equipes se dirigiam aos vestiários, na rampa de acesso, houve uma discussão entre o atleta da equipe mandante Sr. Lucca Borges de Brito e o auxiliar técnico da equipe visitante Sr. Roberto Lampert Ribas, onde ambos precisaram ser contidos por pessoas que estavam próximas no momento do ocorrido. Ressalto que, além da informação feita pelo fiscal, o mesmo mostrou-me o vídeo do fato acima descrito.

Na terça-feira, haverá novo julgamento de Jailson no Pleno. Punido no primeiro julgamento com três partidas de gancho, pela expulsão e por declaração dada após o clássico contra o Corinthians, na primeira fase do estadual, o goleiro ainda tinha um jogo a cumprir, mas foi liberado na fase semifinal e na primeira final graças a efeito suspensivo.

O jogo de volta da final do Campeonato Paulista está marcado para o próximo domingo, às 16h (de Brasília), na arena do Palmeiras. O empate dá o título ao clube alviverde. Uma vitória alvinegra por um gol de diferença leva a decisão para os pênaltis.

imagem02-04-2018-10-04-22
Fonte: Globo Esporte

Palmeiras vê ‘momento propício’ para abrir treino à torcida no Allianz

0

Clube negocia com a WTorre, administradora de sua arena, a possibilidade de abrir os portões para os torcedores na última atividade antes da decisão do Paulista

O Palmeiras está planejando abrir os portões do Allianz Parque no próximo sábado para que seus torcedores assistam ao último treino antes do jogo de volta contra o Corinthians, pela final do Paulistão. Antes de bater o martelo, a diretoria tem mantido conversas com a comissão técnica e com a WTorrre, administradora da arena.

– A gente vai tentar conseguir com a diretoria da WTorre que o treino seja aberto. A gente está discutindo primeiramente com a comissão técnica, mas acho que é um momento bem interessante, bem propício. Isso vem sendo feito no futebol brasileiro e a gente vê com bons olhos. Acredito que seria no sábado – disse o gerente de futebol palmeirense, Cícero Souza.

Torcedores fizeram uma campanha nas redes sociais para que o último treino antes do jogo na Arena Corinthians fosse aberto. Como o tempo para organizar um evento como esse era curto e Roger Machado queria privacidade para montar sua equipe, a atividade acabou sendo na Academia de Futebol e teve centenas de palmeirenses na porta para apoiar o elenco.

O Palmeiras venceu o Corinthians por 1 a 0 neste sábado e está a um empate de ser campeão paulista pela primeira vez desde 2008. A partida decisiva será às 16h do próximo domingo.

Fonte: LANCE!Net

Após vitória no clássico, Palmeiras faz treino técnico na Academia de Futebol

0

 

Um dia após vencer o Corinthians por 1 a 0 na partida de ida da final do Campeonato Paulista, fora de casa, o elenco palmeirense se reapresentou na Academia de Futebol e iniciou a preparação para o embate da próxima terça-feira (03), diante do Alianza Lima, do Peru, em jogo válido pela Conmebol Libertadores.

Enquanto os atletas titulares no clássico, além do meio-campista Moisés e do lateral-esquerdo Diogo Barbosa, que entraram no intervalo e no início da segunda etapa, respectivamente, realizaram trabalho de recuperação física, o restante do plantel alviverde participou de uma atividade técnica, com passes em profundidade e finalizações. Em seguida, o técnico Roger Machado organizou jogos em campo reduzido.

O Verdão volta a treinar na tarde desta segunda-feira (02), às 15h30, na Academia de Futebol – a atividade será fechada para a imprensa. Antes, às 14h30, Moisés concederá entrevista coletiva.

Fonte: Site Oficial

Mais econômico em contratações, Palmeiras volta a decidir título

0

Clube contrata menos do que em anos anteriores e consegue se organizar melhor para ter um elenco mais competitivo

Um Palmeiras mais comedido e ponderado é o que chega à decisão do Paulista. Tem a melhor campanha e a vantagem de jogar a segunda partida em casa. Para conseguir alcançar esse estágio, o clube planejou mais, gastou menos e conseguiu se preparar melhor para montar um elenco competitivo e encerrar os dez anos de jejum no regional. A equipe contratou seis reforços, número abaixo das oito opções trazidas no ano passado apenas no início da temporada.

Em 2017, por exemplo, a diretoria investiu pesado, a exemplo dos R$ 33 milhões pagos em Borja, mais R$ 10 milhões em Guerra e ainda outros R$ 12 milhões em atletas que pouco atuaram pelo time, como Hyoran e Veiga.

Mais dinheiro seria aplicado para o Campeonato Brasileiro. Foram por volta de R$ 40 milhões em reforços como Bruno Henrique, Luan, Juninho e Deyverson. Todos bancados com o aporte da patrocinadora do clube, a Crefisa, responsável por injetar quase R$ 150 milhões na compra de atletas desde 2015.

A filosofia para 2018 foi diferente. A diretoria entendeu que era preciso fazer contratações pontuais, sem a necessidade de gastar muito. Foram pagos R$ 6 milhões ao Cruzeiro por 25% dos direitos econômicos de Diogo Barbosa e mais R$ 2 milhões ao Atlético-PR por Weverton. Os demais reforços, como Lucas Lima, estavam livres no mercado. Assim, o clube só precisou arcar com luvas e comissões.

Além de planejar melhor a formação do elenco, a diretoria sabia que não podia contar mais com o apoio irrestrito da patrocinadora. A Crefisa foi multada pela Receita Federal em setembro em mais de R$ 30 milhões, pois o formato utilizado para contribuir com os reforços foi considerado inadequado e teve de ser revisto. Em vez de compra de propriedades de marketing, a operação precisou ser categorizada como empréstimo. A mudança forçou a alteração do texto de todos os contratos realizados anteriormente.

Mais do que pisar no freio financeiramente, o Palmeiras mudou sua filosofia. Neste ano, a diretoria identificou oportunidades no mercado, como Emerson Santos em fim de contrato com o Botafogo, e tratou de sanar fraquezas do elenco. As laterais ganharam atenção. Victor Luís retornou de empréstimo do Botafogo para se firmar pela esquerda. Na direita, Marcos Rocha veio do Atlético-MG.

Parece certo que o Palmeiras fechará 2018 com menos contratações. Até agora, foram seis. No ano passado, o clube trouxe 12, ante 15 em 2016 e 25 em 2015.

Fonte: Estadão

Sonhando com Copa, Jailson e Cássio vão à final como protagonistas do Dérbi

0

Eles brilharam nas semifinais do Paulistão com grande defesas, foram decisivos nas disputas de pênaltis e conquistam cada vez mais idolatria perante suas torcidas. Os goleiros Cássio, do Corinthians, e Jailson, do Palmeiras, chegam à decisão estadual como protagonistas do Dérbi.

A trajetória dos goleiros é diferente, mas as fases são parecidas. Tanto é que ambos alimentam o sonho de disputar a Copa do Mundo deste ano, na Rússia.

O Gigante da Fiel

Cássio está em vantagem, já que vinha sendo lembrado por Tite até a última convocação. Jailson, por sua vez, tem a convocação defendida por companheiros e torcedores, mas reforça queseu foco está no Verdão.

Antes da primeira final do Paulista, às 16h30 deste sábado, em Itaquera, Cássio fez diversos elogios ao goleiro adversário.

– Quando você trabalha, é um cara do bem, as coisas fluem para você. Ele é um cara trabalhador, dedicado, pode ter demorado um pouquinho a aparecer, mas hoje está colhendo os frutos. Não só trabalho, mas quando a gente abre mão de algumas coisas pelo trabalho, as coisas acontecem. Só posso elogiá-lo, ele está fazendo um grande campeonato – afirmou o camisa 12 do Timão, que disse ter boa relação com Jailson.

Aos 30 anos, Cássio acredita viver um dos melhores momentos da sua carreira tecnicamente. Depois de ir mal em 2016 e chegar a perder a posição de titular para Walter, ele deu a volta por cima na última temporada, sendo decisivo nas conquistas do Paulistão e do Campeonato Brasileiro.

Com contrato até o fim de 2021 e já no top-3 dos goleiros com mais jogos pelo Corinthians, o goleiro cogita defender o clube até o fim da sua carreira.

Jailsão da Massa

Do outro lado, Jailson começou a temporada de 2018 com a confiança de Roger Machado. Depois de ter perdido a posição por causa de uma lesão rara na região do quadril, em agosto do ano passado, o atleta ganhou a concorrência de Fernando Prass e Weverton na disputa por uma vaga no time titular.

Em alta, o atleta de 36 virou uma das referências do Verdão e peça fundamental na boa campanha do time palmeirense no ano. Na semifinal, por exemplo, ele fechou o gol no jogo de ida contra o Santos e depois garantiu a vaga para a decisão ao defender cobrança de pênalti de Diogo Vitor.

Jailson defende o pênalti de Diogo Vitor (Foto: Marcos Ribolli)

A boa fase de Jailson chegou até a criar o questionamento entre alguns torcedores sobre uma possível chance na Seleção. Na última terça-feira, ainda no Pacaembu, ele, que sempre afirmou ser torcedor do Verdão na infância, disse sonhar com uma chance, mas ressaltou:

– O Palmeiras já é a minha Seleção.

Com contrato até o fim do ano, Jailson defende um alto aproveitamento com a camisa do Verdão. Neste sábado, ele vai completar 50 jogos pelo clube – são 32 vitórias, 14 empates e três derrotas até agora.

Fonte: Globo Esporte

Lamentando menor tempo de preparação, Andrés admite favoritismo alviverde

0

A primeira partida da final do Campeonato Paulista entre Palmeiras e Corinthians será disputada neste sábado, a partir das 16h30 (no horário de Brasília), na Arena Corinthians, em Itaquera. Desta forma, o time comandado por Fabio Carille, que eliminou o São Paulo nesta quarta-feira, terá um dia a menos de preparação se comparado ao Verdão, que bateu o Santos na terça. Para o presidente corintiano Andrés Sanchez, um dia a menos para se preparar faz diferença, mas não necessariamente será o fator determinante da decisão.

“Acho que, quanto maior a distância de um jogo para o outro, melhor. Mas não tenho do que reclamar. É o calendário. O Palmeiras também terá um jogo na próxima terça-feira, pela Libertadores, que está marcado há muito mais tempo. É prejudicial, mas não definirá quem vai ganhar ou perder o campeonato”, afirmou o mandatário alvinegro, em coletiva de imprensa concedida nesta quinta-feira, após Conselho Técnico realizado na Federação Paulista de Futebol.

Questionado a respeito de qual das equipes é a grande favorita ao título estadual, Sanches não exitou. Para o presidente do Timão, o rival é o grande favorito da finalíssima. “É um grande clássico. Dentro de campo são 11 contra 11 e vai ganhar quem estiver melhor no dia, embora o Palmeiras seja o favorito”.

Por fim, o presidente garantiu que não haverá treino aberto para a torcida na Arena Corinthians nesta semana, como já aconteceu anteriormente, em treinos que antecederam partidas importantes do time. Embora seja algo que agrade grande parte da fiel torcida, Andrés disse priorizar o pedido do técnico Carille, que considera o período preparatório para a primeira decisão excessivamente curto. “O treinador acha que temos pouco tempo de recuperação, para descansar, dormir e se alimentar direito”, explicou.

Corinthians e Palmeiras não disputam uma final de Campeonato Paulista desde 1999, quando o Timão se sagrou campeão após vencer o jogo de ida por 3 a 0 e empatar o de volta por 2 a 2, em duelo marcado pela confusão nos minutos finais, originada pelas famosas embaixadinhas do atacante Edílson. O ‘Dérbi do século’, como tem sido tratado o confronto desta final de Paulistão, será decidido no dia oito de abril, domingo, às 16h, no Allianz Parque.

Fonte: Gazeta Esportiva

Por título paulista, Dudu ‘esquece’ jogo contra o Alianza Lima

0

O Palmeiras, envolvido no Campeonato Paulista e na Copa Libertadores, terá uma sequência de confrontos decisivos nos próximos dias. Com o foco na final do torneio estadual diante do Corinthians, o atacante Dudu procura ‘esquecer’ o duelo com o Alianza Lima pelo certame continental.

Às 16h30 (de Brasília) deste sábado, na arena de Itaquera, o Palmeiras disputa a primeira final do Campeonato Paulista diante do Corinthians. Às 21h30 de terça-feira, no Allianz parque, volta a campo para pegar o Allianz Lima pela segunda rodada da Copa Libertadores.

“Nosso objetivo maior agora é o Corinthians e estamos pensando neles. Sabemos que não acaba sábado, mas é um jogo muito importante. Temos que entrar focados para fazer uma grande partida. Depois, vamos pensar no jogo de terça-feira”, pontuou Dudu.

O segundo e decisivo confronto entre Palmeiras e Corinthians pela decisão do Campeonato Paulista está marcado para as 16 horas de 8 de abril, no Allianz Parque. Às 21h45 do dia 11, novamente como mandante, o time brasileiro duela com o Boca Juniors, pela Copa Libertadores.

“O desgaste é muito grande. O GPS de cada atleta mostra que todos correm 10, 11 quilômetros por partida. Acho que quatro dias não é o período ideal para o jogador descansar, mas esse é o nosso calendário e temos que trabalhar em cima disso”, afirmou Dudu.

O lateral direito Marcos Rocha, desfalque contra o Santos por dores na coxa esquerda, deve ficar à disposição do técnico Roger Machado para o primeiro duelo contra o Corinthians. Assim como o centroavante Miguel Borja, de volta após defender a seleção colombiana.

Fonte: Gazeta Esportiva

Leandro Bizzio Marinho apitará segunda decisão seguida de Paulistão

0

Nesta quinta-feira, a Federação Paulista de Futebol (FPF) decidiu que Leandro Bizzio Marinho será o árbitro da primeira final do Campeonato Paulista de 2018 entre Corinthians e Palmeiras. A partida está marcada para o sábado, dia 31, às 16h30, na Arena Corinthians.

Mais uma vez, o juiz apitará uma decisão de Paulistão. No ano passado, foi o árbitro no segundo jogo da final Corinthians e Ponte Preta, jogo este, que decretou o título a favor do Timão. O placar do jogo foi de 1 a 1, mas o Alvinegro de Parque São Jorge já havia vencido a ida em Campinas por 3 a 0.

Neste ano, Leandro Bizzio apitou apenas um jogo da equipe comandada por Fábio Carille, a derrota por 3 a 2 para o Bragantino, na partida de ida das quartas-de-final no Pacaembu. Não trabalhou em nenhum jogo do Alviverde Imponente nesta temporada.

Será o quarto clássico do Corinthians que o árbitro irá dirigir. O retrospecto é favorável ao Alvinegro. Foram três jogos, todos com triunfos corintianos, com algumas polêmicas, mas nada que interferisse nos resultados finais dos jogos.

Em 2013, apitou um São Paulo e Corinthians no Morumbi, pelo Paulista. Na época 2 a 1 para a equipe dirigida por Tite. Dois anos depois, comandou mais uma vez o Majestoso, com outra vitória corintiana. No ano passado, esteve no Clássico Alvinegro pelo Paulistão, 1 a 0 Corinthians, gol marcado por Jô contra o Santos.

No mesmo ano, dirigiu o único clássico do Palmeiras em toda a sua carreira. Um empate sem gols diante do São Paulo, no Morumbi. Na época, o Verdão era dirigido por Gilson Kleina. Ao todo, foram oito jogos, com cinco vitórias alviverdes, um empate e duas derrotas.

No total, este será o décimo jogo que Leandro Bizzio Marinho apitará do Corinthians. Foram seis vitórias do Timão, três empates e duas derrotas. Marcou apenas um pênalti a favor da equipe, que foi em 2013, de Rogério Ceni em Alexandre Pato. Distribuiu 20 cartões amarelos e dois vermelhos.

Fonte: Gazeta Esportiva

Como a derrota no Dérbi de Itaquera impulsionou o Palmeiras

0

Rivais voltam a se encontrar, desta vez para decidir o título paulista

A temporada do Palmeiras até aqui em 2018 tem dois momentos distintos quanto ao futebol jogado. Até a derrota para o Corinthians em Itaquera, em 24 de fevereiro, o time de Roger Machado atuava de uma maneira. Depois disso, mudou não apenas a atitude em campo, mas também taticamente.

Às vésperas do reencontro entre os rivais, desta vez pela decisão do Campeonato Paulista em duas partidas (sábado, na arena rival, e em 8 de abril, em casa), o Palmeiras vem de uma sequência de atuações com um diferente desenho: o 4-2-3-1 (com dois volantes à frente da zaga), em vez do antigo 4-1-4-1 (com um só volante entre as linhas).

O rosto dessa mudança é Bruno Henrique. Desde que o volante assumiu o lugar de Tchê Tchê, a equipe fortaleceu o meio de campo tanto atrás quando ofensivamente. Titular nas oito partidas disputadas em março, ele contribuiu na marcação e também balançou a rede quatro vezes, sendo três delas em finalizações dentro da área.

No primeiro e até aqui único Dérbi do ano, o Corinthians soube tirar vantagem da antiga formação palmeirense ao jogar sem um atacante de referência para povoar o espaço entre as duas linhas de quatro com Rodriguinho e Jadson. Isso sobrecarregou Felipe Melo e dificultou também o trabalho dos zagueiros Antônio Carlos e Thiago Martins.

imagem30-03-2018-14-03-47
Palmeiras agora tem dois volantes, além de pontas que ajudam laterais (Foto: GloboEsporte.com)

Agora, no 4-2-3-1, os dois volantes protegem mais a defesa e liberam Lucas Lima – Bruno Henrique tem jogado mais pela esquerda, mas reveza com Felipe Melo em determinadas situações de jogo. Os dois pontas também ajudam com uma marcação alta ou incomodando as subidas dos laterais adversários.

Soma-se a isso uma mudança também de atitude. Na reapresentação do elenco após o revés por 2 a 0 para o Corinthians, na primeira fase, os jogadores se reuniram para cobrar mais entrega e concentração nas partidas. Já no compromisso seguinte, venceram o Junior Barranquilla por 3 a 0, na Colômbia, na estreia da Libertadores.

– Não tem que ficar falando aqui. Foi uma reunião entre jogadores, não participou comissão técnica, não participou ninguém, por esse motivo. Porque foi coisa nossa. Foi preciso naquele momento ter essa conversa por alguns motivos que aconteceram no jogo – disse o capitão Dudu.

– Eu particularmente não coloco para fora, deixo dentro do grupo o que a gente conversou. Todos os jogadores sabem da importância que foi a conversa. A gente espera que no sábado possa fazer um bom jogo e colocar tudo que conversamos em prática.

Na decisão do título paulista, a vantagem do Palmeiras por ter feito a melhor campanha é disputar o segundo jogo como mandante. Antes, porém, será preciso voltar a Itaquera, palco da maior lição aprendida pelo time neste início de temporada.

– Ninguém quer perder. Mas, às vezes, na derrota a gente vê o que está errado, o que temos que melhorar. Foi o que aconteceu da outra vez com eles, agora também contra o Santos – comentou o camisa 7.

Fonte: Globo Esporte