Foto: Palmeiras

Propostas de clubes de fora por jogadores do Palmeiras, dificuldades para trazer nomes desejados pela torcida e o legado deixado para os próximos anos. Não faltaram pautas na participação do diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, em entrevista exclusiva ao Expediente Futebol, na última terça-feira (24 de julho).

O cartola do time alviverde esteve no FOX Sports e participou ao vivo respondendo muitos dos principais questionamentos feitos atualmente, como a proposta recebida pelo meia Moisés, que revelou um contato do futebol do Egito e que está em processo de negociação com a diretoria nos próximos dias.

Mattos disse que o calendário brasileiro desalinhado com o europeu provoca grandes dificuldades nessa época do ano, quando outras partes do mundo, sobretudo a Europa, avançam em contratações e rompem a estutura dos clubes brasileiros. Nesse cenário, o cartola declarou que foi um grande trunfo ter conseguido manter os principais jogadores e perder apenas Keno, considerando a manutenção de seis nomes cobiçados pelo mercado como a “grande contratação” do clube esse ano.

2017 do Palmeiras precisa de melhor avaliação

“Não dá pra falar que o Palmeiras vice-campeão brasileiro foi uma tragédia. Em 20 anos, o time só foi campeão brasileiro e vice uma vez.”

Palmeiras com estrutura montada

“O Palmeiras não é só comprar jogador e ter uma torneira aberta. O Palmeiras está pagando suas dívidas. Tínhamos que pagar o Paulo Nobre.”

Atitude de Lucas Lima ao não querer ser vendido

“O Lucas Lima foi muito legal, foi na minha frente, quando teve a proposta ele falou “eu quero vencer no Palmeiras”, é um baita profissional, ele deu a mão e quer vingar, disse que quer.” Ele quer ficar e conquistar e tem essa postura.”

Interesse por Miranda e zagueiros do time

“O Miranda, é óbvio que demos uma sondadinha. Mas nós temos Dracena, Antônio Carlos, Luan, Nico, Pedrão e Thiago Martins e confiamos em todos eles. Sem dúvidas, se vier algum zagueiro, tem que ser um zagueiro (impactante)… mas nós acreditamos nos zagueiros que temos. O (Miranda) poderia ter vindo.”

Bernard e Ricardo Goulart são muito difíceis

“O Palmeiras sondou a possibilidade do Miranda, e a notícia que tivemos foi que a família ainda quer permanecer fora do país. A mesma coisa com o Bernard, eu falei com ele, ele disse que que ainda quer seguir um caminho fora do país. É claro que algo pode mudar, se fecha a janela… Falam muito do Ricardo Goulart. Ele tem multa de 50 milhões de euros, foi o melhor jogador da China nos últimos três anos, aí só se vender o Allianz Parque. Aí falam ‘O Goulart quer vir pro Brasil, o time empresta’. Se tem uma oportunidade dessa, tudo bem.”

Mina também apenas um sonho

“Nenhuma possibilidade (de Mina voltar). Se ele voltar para a América do Sul, será 100% pro Palmeiras. Claro que botamos uma cláusula lá. O futebol é dinâmico, vai que recebo uma ligação aqui.”

Reforço foi manter as peças

“Já disse isso algumas vezes: estamos enfrentando algumas dificuldades pela questão do nosso calendário. O Palmeiras sofreu bastante com essa situação do momento em que abre o mercado mundo afora e aqui estamos no meio de competição. A grande contratação do Palmeiras agora é manutenção forte do elenco. Vários jogadores sofreram, digamos, assédio. O Palmeiras teve força e planejamento para essa manutenção. Teve Antônio Carlos, Lucas Lima, Moisés, Dudu e o Keno, que foi uma batalha perdida. Teve assédio muito forte com Willian também. O Moisés, agora dois dias atrás. Foram pequenas batalhas que conseguimos. O Scarpa que nós recuperamos e tinha propostas fortes de fora, mas manteve a sua palavra.”

Dificuldade pra segurar jogador com mercados alternativos

“Queremos protagonismo, que é disputar tudo com chance de ser campeão. É óbvio quando você recebe X e tem chance de ganhar seis, sete, oito vezes X, pensa na família. De seis em seis meses o Dudu tem uma proposta, pelos méritos dele como jogador e o que conquistou.”

Foi difícil de manter outros jogadores

“Você acha que eu queria vender o Mina, o Vitor Hugo, o Gabriel Jesus? Eu queria que eles ficassem dez anos aqui, igual o Liverpool consegue, o Real Madrid consegue.”

Proposta por Moisés

“O Moisés recebeu uma proposta há dois dias do Pyramids. A proposta foi de 6 milhões de euros, cerca de R$ 26 milhões, mas ele sabe que vai ficar. No mesmo dia que o Rodriguinho aceitou deixar o Brasil. O time é o mesmo do Valentim, ele quem indicou o Moisés por lá.”

Papel do dirigente é mais amplo

“O diretor executivo no Brasil é cobrado basicamente por contratações dar certo. E não é isso, fazemos gestão da base, de muitas outras coisas.”

Fonte: FOX Sports